Como saber se o email que recebi é verdadeiro?

Evite sustos na hora de clicar em suas mensagens eletrônicas sabendo separar emails verdadeiros de ataques maliciosos.

Não importa se você possui um filtro antispam ou não ativado em sua conta de email.

Ainda assim, é bem provável que você receba pelo menos uma vez por semana algum tipo de mensagem indesejada.

A praga é universal e já foi pior, mas tomando algumas precauções simples é possível escapar ileso da malícia dos spammers.
A principal dica ao receber um email cujo remetente é desconhecido ou suspeito é ter calma e ler com atenção a mensagem. Prestar atenção em detalhes como endereço de origem, sites para onde os links contidos na mensagem apontam e o tipo de arquivo anexado já reduz consideravelmente as chances de você cair em uma cilada.

Quem mandou isso?

O primeiro passo é checar o email do remetente da mensagem. Bancos e órgãos governamentais não costumam mandar mensagens eletrônicas para os seus clientes com alertas de cobrança, pedidos de recadastramento ou alerta para troca de senha. Ou seja, se esse for o assunto, descarte a mensagem sem pensar duas vezes.
Contudo, se você quiser se certificar, cheque o endereço do remetente da mensagem e veja se ele confere com a URL original do site em questão. Por exemplo: se você receber um email do Banco do Brasil, cujo endereço depois da “@” não seja “bancodobrasil.com.br” ou “bb.com.br”, fuja imediatamente.


É comum que os spammers registrem endereços similares ou com palavras adicionais, como “info”, “cadastro” e “cobrança”. Em caso de dúvida, entre em contato com a agência ou o órgão supostamente responsável pelo envio do email e tire suas dúvidas antes de clicar.

Links que apontam para o mal

Alguns links contidos no corpo da mensagem também não são exatamente o que aparentam ser. A dica aqui é não clicar antes de checar qual é a real URL para a qual você é direcionado. Para descobrir isso, basta passar o mouse sobre o link e ficar atento ao endereço que aparece no canto inferior esquerdo da sua tela.
O endereço que aparece na parte de baixo é a URL de verdade, independente do que esteja escrito no link disponível no corpo do texto. Caso o link tenha alguma terminação como “.exe” ou “.src”, trata-se de um aplicativo que será baixado e instalado em sua máquina — o que, em uma situação como essa, é ainda pior.

Cuidando dos anexos

Alguns emails podem até passar nos dois quesitos acima, mas há ainda um terceiro item a ser observado. Fique atento ao tipo de arquivo que vem anexado à mensagem. É muito comum receber recados cujo texto não é comprometedor, uma vez que proposta de quem envia é que você baixe algum dos arquivos anexos.


Caso o email contenha arquivos executáveis ou compactados que você não tenha solicitado, não hesite em descartar a mensagem antes mesmo de baixar o conteúdo. A probabilidade de que exista algum item malicioso nos anexos é enorme. Por isso, aprenda a controlar a sua curiosidade, apague a mensagem e garanta tranquilidade para o seu computador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.